Return to site

PLANO SAFRA 2016/2017 terá aumento de crédito para Agricultura Familiar

O novo Plano prevê um conjunto de medidas para fortalecimento da produção de base orgânica e agroecológica

A agricultura familiar terá crédito ampliado e mais barato para a produção e comercialização de alimentos. Este é o anúncio feito pelo governo federal na tarde desta terça-feira (03), em lançamento do Plano Safra da Agricultura Familiar 2016/2017, no Palácio do Planalto. A atividade teve a participação da presidenta Dilma Rousseff e do ministro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias e movimentos do campo. O novo Plano prevê um conjunto de medidas para fortalecimento da produção de base orgânica e agroecológica.

 

O crédito rural destinado à agricultura familiar foi ampliado para R$ 30 bilhões para o novo biênio. Para o período de 2015/2016 foram disponibilizados R$ 28,9 bilhões mas os recursos contratados, segundo o MDA, devem atingir até R$ 22 bilhões até julho, mês que encerra o atual  Plano.  Na avaliação da presidenta a elevação progressiva do crédito para a agricultura familiar é um sinalizador do esforço em garantir as condições de produção e comercialização para o pequeno e médio agricultor.

 


“Em 2002 foram disponibilizados R$ 2,3 bilhões. Neste novo Plano serão R$ 30 bilhões para financiamento e produção. Acredito que tivemos uma evolução. A existência de financiamento adequado, com juros subsidiado, nos tira da condição de importação porque significa transformar os agricultores familiares, que antes por carência de recursos eram menores e tinham menor produção, com o crescente investimento agora são capazes de viver da renda de seu trabalho de forma digna”, afirma Dilma.


Por meio do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) o crédito ficará mais barato. Para diminuir o custo e estimular a produção os juros do crédito rural foram reduzidos a 2,5% ao ano, valor inferior à inflação. A taxa anterior era de 5,5%.


O novo Plano também prevê apoio à comercialização pelas compras públicas de alimentos dos Programas Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) e de Aquisição de Alimentos (PAA). A previsão é a de movimentar R$ 2,7 bilhões para o PAA e R$ 1,1 bilhão para o Pnae.  “Com o incentivo à comercialização para a agricultura familiar geramos renda ao agricultor e garantimos acesso aos alimentos de qualidade pelas pessoas, famílias e comunidades que estão em situação de vulnerabilidade”, comenta o ministro Ananias. A agricultura familiar responde hoje por 70% dos alimentos consumidos em todo país, segundo dados do MDA divulgados em 2015.

Por Lizely Borges
Da Página do MST

All Posts
×

Almost done…

We just sent you an email. Please click the link in the email to confirm your subscription!

OKSubscriptions powered by Strikingly